Archive for the 'Futuro' Category

Sobre o ano novo

Já começo o post de ano novo deixando bem claro as minhas ressalvas em relação a essa data. Não boto muita fé no chamado “Ano Novo” e nem acredito que essa data exerça algum tipo de pode macabro no funcionamento do universo. Sejamos sinceros, tudo que as pessoas colocam em suas listas de resoluções para ano novo se encaixa em duas categorias: ou são coisas que só dependem da força de vontade da pessoa (como emagrecer ou parar de fumar) e não é porque você comprou um calendário novo que tudo vai se resolver magicamente; ou são pedidos quase impossíveis que dependem de muita sorte e única e exclusivamente do acaso (como ganhar na loteria ou encontrar o homem dos sonhos). Porém, mesmo com todo o meu mau humor e pessimismo já característicos, não poderia deixar essa data passar em branco.

Estou me despedindo de 2012 com um leve sorriso no rosto. No geral foi um ano bom, mil vezes melhor que 2011. Meu humor ficou um pouco mais controlado, eu mudei de escola pela primeira vez na minha vida, votei pela primeira vez, aprendi muito e amadureci um pouco. Lendo as páginas do meu diário de dezembro de 2011 vejo que sou uma pessoa um tantinho diferente. Uma versão mais leve e menos deprimida de mim mesma. Ainda cheia de defeitos e falhas, só que um pouquinho mais consciente dos meus erros e acertos. Uma versão mais independente de que me orgulho muito.

O que eu quero pra 2013? Bom, para 2013 eu quero menos depressão e mais felicidade. Eu quero mais brisas e menos tempestades. Eu quero escrever mais, ler mais, assistir mais séries, ser mais feliz. Eu quero enxergar melhor os pequenos detalhes, desfrutar dos prazeres mais escondidos e insignificantes. Quero me preparar pra essa vida adulta que bate a minha porta. Quero me despir de toda a raiva, o rancor e a mágoa. Quero deixar o passado para trás, onde é o seu lugar. Nesse finalzinho de ano percebi que as pessoas não são eternas e que não vale a pena perder um tempo valioso remoendo mágoas passadas. Pessoas morrem, pessoas nascem. É assim que funciona a vida. Por isso nesse ano novo quero aproveitar cada segundo do meu tempo. Quero deixar meu olhos bem abertos para não perder nenhum detalhe. Quero sair definitivamente desse ciclo depressivo em que me encontro já há algum tempo. Nesse ano novo eu quero fazer algo diferente, algo que não faço desde a minha infância: eu quero viver. Só que falo sério dessa vez.

Feliz ano novo pra todos vocês!

Advertisements

Sobre testes vocacionais

Eu nunca fui muito decidida em relação a minha profissão. Em um dia eu queria ser psiquiatra e no outro eu queria ser jornalista. Desde o ano passado eu penso em fazer um teste vocacional para pelo menos ter um direcionamento, porém eu sempre acabava adiando. Imagina a minha felicidade ao ver que a minha escola nova tinha uma psicóloga disponível para testes vocacionais.

Como os horários da psicóloga eram super disputados, acabei demorando quase 5 meses para concluir o teste. O teste vocacional que eu fiz é dividido em 3 etapas: as duas primeiras são as perguntas e a terceira é a devolutiva, onde você recebe o resultado do teste.

Quando comecei a fazer o teste admito que não coloquei muita fé que aquilo chegaria em algum lugar. Eram perguntas banais -em certo ponto até um pouco idiotas- e o questionário parecia nunca ter fim. Eu fiz o que a psicóloga recomendou e não pensei muito para responder o questionário, apenas colocava a primeira coisa que aparecia na minha mente.

Fui conversar com a psicóloga para receber a devolutiva com a certeza de que daria algo bem absurdo, tipo astronauta. A minha surpresa é que o teste fez bastante sentido e bateu com todas as profissões que eu já havia considerado. O resultado foi esse:

Essas foram as áreas em que eu obtive maior pontuação. Depois disso a psicóloga fez uma relação de todas as profissões que mais combinavam com o meu resultado. Segundo ela Direito seria a melhor opção, pois relaciona as 3 primeiras colocações de maneira equilibrada. Envolve escrita, comunicação e pesquisas históricas.

Minha mãe e meu pai acham que Direito seria a opção ideal para mim. Logo após eu ter feito o teste fiquei durante um mês decidida de que Direito era a minha escolha. Mas sinceramente, eu não sei mais de nada. Nos últimos dias comecei a considerar História, e depois pensei em Linguística…estou perdida. De novo.

Às vezes eu queria ser uma daquelas pessoas que com 5 anos dizem que querem ser tal coisa e passam o resto da vida repetindo isso. A vida parece ser bem mais fácil para elas. Eu não quero tomar a decisão errada e me arrepender depois. Eu conheço pessoas que tiveram que mudar de curso pelo menos umas 3 vezes para finalmente se acharem. E eu também conheço pessoas que escolheram a profissão errada e por não querer admitir o erro levaram o curso adiante, e hoje são super infelizes. Eu não quero isso para mim.

Eu só quero tomar a decisão certa, e principalmente, eu quero acertar de primeira. Será que é pedir muito?


Mariella

"But Mariella just smiled as she skipped down the road because she knew all the secrets in her world."

@mariellapops

Error: Twitter did not respond. Please wait a few minutes and refresh this page.

bloglovin