Archive for March, 2012

Pequenas coisas que fazem seu dia miserável

– Acordar no meio de um sonho bom. Eu nem lembro direito do sonho, lembro apenas que fiquei muito revoltada quando acabou.

– Acordar as 5 da manhã. Isso nunca deixa ninguém feliz.

– Não ver “o cara do ponto” porque ele estava atrasado. Sério, eu não sei quem ele é, onde mora, onde estuda e etc. Tudo que eu sei é que todos os dias 6:30 da manhã ele está lá no ponto e às vezes vai no mesmo ônibus que eu. E quando isso acontece ele sempre me deixa entrar na frente dele. Isso é fofo, educado…tirando o fato de que ele provavelmente deve me achar a garota mais feia e sem graça que ele já viu na vida dele. Mesmo assim é bom ver caras fofos logo de manhã.

– Um dia só de aulas de exatas. É auto-explicativo.

– Pequenas grosserias. Sério, não tem nada pior do que aguentar grosserias não intencionais logo de manhã.

– Pessoas fofas e apaixonadas. Ok, sou recalcada mesmo e aí?

– Finalmente voltar pra casa. Só que pegar um ônibus lotado e ainda aguentar gente chata falando que a minha mochila estava bloqueando a circulação do ar por ser grande demais (sério, deu vontade de dar com a mochila na cara da pessoa!). E mais uma rodada de grosserias só que dessa vez de estranhos.

– Chorar no corredor de um supermercado. É vergonhoso.

–  Brigar com a minha mãe por uma besteira e fazer ela chorar.

– E finalmente: chegar em casa e perceber que a sua calça preferida da Levi’s está rasgando de tanto usar (!!) e lembrar que foi exatamente o que a minha mãe disse que aconteceria: “Ela vai rasgar no seu corpo de tanto que você usa.” Detalhe é que eu tenho umas 20 calças jeans, porque a minha preferida de todos os tempo tinha que começar a rasgar? Anyway, vou continuar usando mesmo assim e dizer que os rasgos na perna são “estilo”.

Amanhã é outro dia.

Advertisements

Aquela solidão

Tem dias que eu fico assim meio aérea, pensando e analisando tudo ao meu redor. E não sei porque exatamente nesses dias em que estou mais sensível e depressiva eu acabo vendo coisas que me levam mais pra baixo.

Fotos em que você deveria estar, amigas que eram suas e já não são. Não mais. Comentários como “amigas inseparáveis desde a infância” e uma lista de nomes onde fazem questão de cortar o seu. Pessoas que passaram pela sua vida, te marcaram de alguma maneira e não se importam mais.

Eu me sinto como se não existisse, como se de alguma maneira tivesse sido invísivel durante esses 16 anos, porque ninguém se lembra, ninguém se importa. Isso magoa. Dói.

Eu olho pra trás e não vejo ninguém. Olho para o lado e continuo sem ver ninguém. Será que algum momento mais pra frente eu vou parar de me sentir tão solitária? Porque isso é uma merda.

Tudo novo de novo

Cá estou eu com outro blog. Falando assim até parece que vivo trocando de blog, só que não é bem o que acontece. O que estava acontecendo é que tinha me cansado da blogosfera e continuava insistindo (e pagando a hospedagem, porque sim, eu tinha um domínio próprio e pagava a  hospedagem religiosamente todos os meses!) por pura teimosia.

Veja bem, o problema é que realmente gosto de blogar e apenas não gostava da maneira como a coisa estava fluindo. O fato de gastar algum dinheiro com o blog antigo, mesmo que fosse pouco, fazia com que me sentisse extremamente culpada quando não sentia vontade de atualizar toda semana ou simplesmente não tinha ânimo de visitar outros blogs, comentar, fazer a social. Acho que o peso na consciência estava me consumindo e fazia com tudo ficasse maior e pior do que realmente era.

E  pra mim isso tudo vai contra o verdadeiro sentido de blogar. Blogar é pra ser algo divertido, algo que você faz com prazer. Eu tinha perdido a diversão e espero mesmo que consiga resgatá-la. É uma nova tentativa, uma nova chance que dou a tudo isso.

Eu realmente não sei sobre o que vou postar e muito menos quando voltarei a postar. Pode ser daqui algumas horas ou daqui um mês. Só sei que quando o fizer estarei fazendo por prazer e não obrigação.

Queridos leitores imaginários, esse é o momento em que vocês dizem em coro: “BEM-VINDA DE VOLTA!”


Mariella

"But Mariella just smiled as she skipped down the road because she knew all the secrets in her world."

@mariellapops

Error: Twitter did not respond. Please wait a few minutes and refresh this page.

bloglovin